A sala de despedidas por excelência


E seguiu, não voltou a olhar para trás. Quebraria e adiava o sonho de voar sozinha. Prometeu voltar um dia com euros guardados debaixo do colchão. A mãe preferiu não a ver passar o portão de embarque. Ficou no carro, não olhando para lá do vidro desejou-lhe a maior sorte do mundo. Agora colocava-se a questão que os atormentara durante as últimas noites. Terão eles feito tudo para que a menina não saísse do país? Enviou-lhes mensagem já com a voz embargada no "bom dia" ao segurança do aeroporto "serei portuguesa sempre. Voltarei para vos dar o conforto que me deram até hoje. Amo-vos

Share:

0 comentários