Recados antigos - 10

Do mundo fernético
Prefiro não ter notícias
Deixo-me ficar parado
Para recuperar as energias

O som que da montanha vem
Invade-me os sentidos
São sons de pássaros
Que se encontraram perdidos

A escarpa que se estende
Para lá do horizonte
Mostra-me um céu azul
Vindo não sei de onde

Um ou outro som
De carro a passar
Não me afectam os sentidos
Nem a vontade de estar

Parado
E ouvir...
Tudo aquilo que a Natureza
Me quis fazer sentir

Para lá dos montes
E vales encantados
Haverá mundos estranhos
De desencontros marcados

Por trás daquele monte
Que daqui teimo em ver
Haverá uma parte...
A outra, do meu Ser

São sons que me invadem
Vindos não sei de onde
Mas sei que para lá dos montes
Encontrarei o meu horizonte

Recheado de sons
Que me fazem enlouquecer
Prefiro o lado da montanha
Para voltar a ser aquele ser

Que pára
Para ouvir
E respira
Para sentir

Para lá daquele monte
Haverá uma parte
Em mim deste pequeno
Imenso horizonte


Francisco Milheiro
9 Agosto 2011

Share:

0 comentários