Recados antigos - 6

Chegou Janeiro
Lá acordo eu 
Depois de dormir 
O inverno inteiro 

Eis que chega Fevereiro 
Preparo-me para dias 
De intenso 
E matinal, nevoeiro 

Eis que chega Março 
Estamos quase no verão 
E agora, 
O que faço?Chega Abril
Que chatice
Águas mil

Chega Maio
E eis que escolho
Um belo e novo
Galho

Chega Junho
O calor
As meninas,
E o seu esplendor

Chega Julho
Estou cansado
E com calor
Estou a precisar de um mergulho

Chega Agosto
O Verão já me deixa
Um pouco
Mas só um pouco, indisposto

Chega Setembro
Vem a época
Do semi e incerto 
Bom tempo

Chega Outubro 
Vou à loja de conveniência 
E peço que me façam 
Um simples embrulho 

Chega Novembro 
De novo
O tal do 
Tormento 

Chegou Dezembro 
Impossível 
Já ter passado 
Este tempo 

Ainda ontem era Janeiro 
E eu tremia pelo corpo inteiro 
Chegou Fevereiro 
E eu a ansiar pelo tempo 
Do veraneio 

Chegou Março 
E eu mudei-me 
Para outro espaço 
Chegou a Abril 
E eu a rezar 
Para que não chegassem 
As águas mil 

Chegou Maio 
E eu sem querer 
Mandei um malho 

Chegou a Junho...
E aleijei-me no punho 

Chegou Julho 
E eu dei um mergulho 

Chegou Agosto 
E fiquei mal disposto 

Chegou Setembro...
E trouxe razoável bom tempo 

Veio Outubro 
E as folhas caíram 

Chegou Novembro 
E as neves se seguiram 

Chegou Dezembro 
O Natal passa por mim 
E eu
Não me lembro! 

Visão do Ano por um pássaro

Francisco Milheiro 
31 Agosto 2011 

Share:

0 comentários