Poesia do olhar - 11 de Janeiro v2


No ar
Sentia o aroma da cidade cinzenta
Não sei porquê...
Mas cada pedra, cada recanto
Parecia-me trazer um recado
Um segredo bem guardado
O som da água
Que corria por baixo da ponte
Convidava-me a te desafiar
A uma dança
Lenta
Marcavas tu o ritmo
Eu seguia-te
Até ao fim do mundo
Pedi-te só que não me fizesses saltar
Do primeiro tabuleiro

Share:

0 comentários