Poesia do olhar - 14 de Fevereiro (1)


Sentia uma paz reconfortante a cada passeio com cheiro a mar. Naquela tarde ninguém o viu, todos estavam colados na televisão a ver a final do campeonato da Europa de futsal. Com tempo para si, para os pensamentos, para as canções deambulou, sem pressa pela calçada beijada anteriormente pela areia amarelada. Por lá continuou até encontrar as pulsações que teimavam em ser mais altas que o normal. 

Share:

0 comentários