Enfermagem no Portugal das "Cativações"

Porto, 17 de Maio de 2018 

Se recuarmos no tempo, não será descabido... anos em que Portugal teve a visita "surpresa" de uns senhores engravatados com o mesmo apelido: TROIKA. Coligação Portugal à Frente vence, a Esquerda une-se e faz um grupo que não há memória, principalmente quando há uns meses António Costa dizia "... O Bloco é um não partido...!". Chegaram com a promessa e quase contrato assinado com todos que iriam virar a página da austeridade. Pois, nos últimos meses os combustíveis tiveram a maior cotação de sempre, os Hospitais públicos colecionam dívidas, há gente a morrer nos corredores da Urgência e permanecem outros mais do tempo recomendado no SO. 

A minha ligação aos jornais e notícias em geral faz-me estar em cima de alguns acontecimentos, ainda recentemente no Porto estive na Avenida dos Aliados com os "Lesados do BES", na principal sala de visitas da cidade mensagens de "apoio" a Costa (o Primeiro e o Presidente do Banco de Portugal) e em grande uma notícia com mais de dois anos do Jornal Expresso sobre a resolução. 


Mas vamos ao tema expresso no título... A classe profissional dos enfermeiros tem sido das mais prejudicadas desde a entrada em funções do atual modelo "geringonça", a situação que veio a lume recentemente do Hospital Pediátrico "O Joãozinho" do Hospital de São João em que crianças fazem quimioterapia no corredor, ratos que "passeiam". O que irrita no meio de tudo isto é que quando é programada a visita do Ministro da Saúde - Adalberto Campos Fernandes - tudo parece impecável, não há ninguém nas urgências à espera, as dívidas saldadas a fornecedores do dia para a noite. Ouvir na televisão um Ministro Centeno dizer que não há cativações, que vão contratar mais enfermeiros e depois nada acontece revolta. 

Ontem, aos 17 de Maio, um conjunto de enfermeiros do Hospital de São João - o maior da região Norte - deixaram os serviços durante duas horas e colocaram cartazes onde se pode ler "Neste Hospital podem encerrar camas! CHS João deve + de 60.000 horas aos enfermeiros". O SEP - Sindicato dos Enfermeiros Portugueses teve a sua representante e alguns dos profissionais disseram aos órgãos de comunicação social presentes as suas preocupações, as suas reivindicações.  

Gradeamento da entrada principal do Hospital de São João,
17 de Maio 2018 

Grupo de enfermeiros em greve (11:30 - 13:30)
17 de Maio 2018
A classe trabalhadora da saúde é aquela por quem eu tenho o maior respeito / carinho e solidariedade. São desumanos os horários, os turnos, as noites em claro, as horas em hospital público e privado para um complemento do ordenado. 

Segundo o site http://www.e-konomista.pt/artigo/quanto-ganha-um-enfermeiro/  o ordenado começa em 1200€ (dados do SEP). Se pensarmos que num país como o Reino Unido o ordenado base se situa no intervalo de 3 a 4 mil.   

Share:

0 comentários