75 Anos de Solário Atlântico

Espinho , 10 de Julho 2018 

A piscina faz 75 anos. Ainda me recordo, antes de sair de casa rezava para que o céu encobrisse e a praia não fosse a primeira paragem, seguíamos diretos para a piscina Solário Atlântico. Ontem foi o dia perfeito para regressar à velha infância, imaginar as correrias à volta da piscina azul na vã esperança que a digestão ficasse feita para mergulhar. As alturas sempre me fizeram um pouco de confusão, nem Espinho nem Vidago chegaram a ter a minha humilde personagem na primeira prancha. Quanto a quem estava autorizado a subir ao terceiro piso subia só para ver o mar e engatar as miúdas que estavam a apanhar banhos de sol ou a molhar os pés na água morna. 

Ontem foi dia de voltar, caminhar quase sem ninguém no recinto. Recordo-me vagamente das vozes da altura, de quem me acompanhava, das bolachas que até ao dia de hoje não consigo recordar a marca nem tampouco recolher o sabor nas papilas gustativas. Regressar à piscina é sempre um privilégio, recordar quem já não está connosco e que vinha para fazer companhia. A piscina de Espinho - Solário Atlântico - juntou ontem alguns ilustres da época - exímios nadadores, antigos professores e familiares dos obreiros. 



Carros faziam fila na antiga 109 para rumarem à piscina, faziam-se gincanas e correrias, o escorrega da altura já não há nada a não ser imagens e na memória de quem lá andou. A música que passava era escolhida por pessoas entendidas, uma das quais presentes na cerimónia que trabalhou largos anos na Rádio Renascença - Porto. 


Atualmente a piscina está modernizada, a antiga bilheteira foi melhorada e os bilhetes passam agora por um torniquete. Continua a existir uma equipa de pronto socorro presente desde a abertura ao fecho, uma zona mais resguardada e com óptima vista para a praia da Baía.   



Share:

0 comentários